BMFL e CycFX 8 na Tour V dos Maroon 5

A banda de rock norte-americana Maroon 5, começou a sua mais recente tournée mundial de promoção ao seu quinto álbum de nome “V”, com iluminação, efeitos visuais e design de palco pensados por Leroy Bennett.

O enorme rig inclui 8x Robe BMFL Spot e 96x Robe CycFX 8, fornecidos pela empresa de aluguer líder nos EUA, a Upstaging, assim como todos os outros elementos que fazem parte da iluminação deste espectáculo.

Ter algo totalmente diferente do habitual, foi o ponto de partida da criatividade de Bennett. Tendo o ‘V’ que se destaca da capa do álbum como uma inspiração base, a estrutura de truss e a arquitectura de toda a configuração – incluindo 19 (9 por lado, mais um ao centro) atraentes colunas em cascata de plexiglass – evoluiu em torno do conceito de V’s invertidos.

O objectivo de Bennett foi também, apresentar uma estrutura que fizesse uma forte declaração e que pudesse ser alterada ao ser iluminada e texturizada com vídeo, proporcionando um ambiente dinâmico e em constante mudança.

Existe um palco B e uma passarela de ligação, que permite à banda apresentar-se aos fãs. O conteúdo do vídeo é retroprojectado sobre os painéis de plexiglass, que podem ser preenchidos com fumo. Os painéis também se movem para trazerem mais um conjunto de variações para esta equação visual inovadora.

A estrutura do tecto compreende uma gigante configuração de iluminação, feita com 12 braços articulados e armados com luminárias, sendo que todos estes braços se movem numa série de guinchos de cabos. Uma obra-prima de engenharia elaborada pela TAIT e Upstaging. Traz animação dinâmica para todo o espaço e ajuda a mudar a sua aparência e forma durante todo o espectáculo.

Esta é a primeira tournée para a qual Bennett especificou os novos Robe BMFL Spot e a Upstaging adquiriu 8 máquinas destas para este trabalho. Os BMFL’s estão posicionados na truss de downstage e são usados, essencialmente, para a iluminação principal da banda e para mais algumas situações especiais.

Bennett viu o BMFL pela primeira vez, numa preview especial feita na Austrália, no ano passado, pouco antes do lançamento do produto. Estava “muito impressionado” com o brilho e versatilidade. Nos seus designs, Bennett gosta de ter diferentes escolhas para fontes de luz, mas neste caso e sendo um produto novo, falou com a Upstaging acerca dos BMFL’s durante o processo de design e convenceu-os de que teriam de adquirir estas máquinas. “Nunca poderei esperar que uma empresa compre um produto que eu ou eles, não confiem totalmente, sendo que é um grande compromisso financeiro”, explica, “mas todos concordamos que o BMFL seria um investimento sólido”.

Os BMFL’s, CycFX 8’s e outras luminárias presentes nesta configuração, são programados e executados através de uma consola grandMA 2, que está a ser operada pelo Director de Iluminação e Programador Brian Jenkins.

É a primeira vez que Brian usa BMFL’s, tendo-os visto em acção, nos Teen Choice Awards de 2014. “Estão a fazer um trabalho fantástico na iluminação principal da banda”, comenta, acrescentando que o espaço de cores é excelente e a fonte de luz é homogénea e sem hot-spots.

“Estamos todos espantados com o quão brilhantes e vibrantes estas luzes são, sendo ainda assim, perfeitamente capazes de serem subtis e suaves também”, afirma. Jenkins gosta, especialmente, das rodas de animações do BMFL e do alcance do zoom.

Os 96x CycFX 8’s foram outra nova aquisição da Upstaging. Estes estão a delinear a ligação em forma de “L”, entre o palco principal e o palco B, estando ainda posicionados em torno do perímetro do palco B.

Bennett sabia o efeito que queria e foi o Director da Upstaging, John Huddleston, que inicialmente recomendou que olhasse para o CycFX 8, tendo já feito uma extensa pesquisa sobre as opções.

A TAIT fez suportes personalizados para os CycFX 8’s, permitindo que as unidades pudessem ser penduradas fora das extremidades da pista e no palco B.

Mapeando, individualmente, os oito pixéis LED de 15W RGBW em cada CycFX, foi possível criar uma série de divertidos bumps e chases, que são executados durante todo o espectáculo, bem como a sua função principal, que seria definir as extremidades da pista de ligação ao palco B e para up-lighting ocasional.

Também a trabalhar na equipa de Bennett para a V tour, estão o programador de luz Jason Barei e o programador de vídeo Loren Barton.